Drumming Plays Steve Reich (Ciclo)

Considerado talvez o mais importante e infuente compositor do fnal do século XX e inicio do XXI pelo seu poder criativo e comunicativo, dando a modernidade uma via de criação sem precisar de abraçar as correntes da complexidade e integrando uma diferente forma de atração tonal. É um dos criadores e impulsionadores da chamada Música Minimal ou Música Repetitiva. 

A sua música caracteriza-se por um pulso constante, repetição motívica e uso frequente de cânones que se desenvolvem dentro de estruturas rigorosas, ritmos propulsores, harmonias de diversos géneros musicais (música medieval, jazz…) e uma orquestração repleta de cores sem necessidade duma orquestra sinfónica. 

O legado de Steve Reich tem infuenciado compositores e músicos por todo o planeta pela sua indiscutível autenticidade e talvez por ser “… o maior compositor americano vivo” como o descreveu The Village VOICE. The Guardian descreve-o como um dos poucos compositores que “alterou o rumo da história da música” e o The New Yorker refere-se a ele como “… o músico e pensador mais original dos nossos tempos”.

É o criador de obras como It´s Gonna Rain (1965), Piano Phase (1967), Drumming (1970-71), Music for 18 Musicians (1976), Tehillim (1981), The Desert Music (1984), Different Trains (1988), Three Tales (2002), Double Sextet (2007), Radio Rewrite (2012) que se destacam entre muitas outras, de sua autoria, que são interpretadas por todo o Mundo. 

Desde o início da sua carreira explorou inúmeras técnicas de composição que incluem o uso de loops (em obras como It´s Gonna Rain e Come Out), efeitos de fase repetidos (Phase Patterns, Violin Phase e Piano Phase) e mais tarde explorou novos conceitos musicais em obras como Pendulum Music (em que explora a retroalimentação com microfones) ou Four Organs (alargamento de células musicais) mas rapidamente deixou a experimentação tecnológica para continuar a desenvolver formas de expressão musicais para ensambles estritamente instrumentais.

Reich foi distinguido com diversos prémios como o prestigioso Praemium Imperiale (2006), o Polar Music Prize (2007), o Prémio Pulitzer de Música (2009) e o Prémio Fundación BBVA Fronteras del Conocimiento (2013) em música contemporânea por ter, como cita a ata, “uma nova concepção da música, apoiada na utilização de elementos realistas, relacionados com o quotidiano e elementos provenientes de músicas tradicionais dos continentes Africano e Asiático” e por “ter aberto novas vias que criaram um diálogo entre cultura popular e culto; entre a modernidade ocidental e as tradições não europeias que resultaram numa feliz combinação de complexidade e transparência”.

Maximizar o Mínimo: Comprender Reich

Drumming & Steve Reich, Como criar uma audição direccionada? Como entrar numa escuta mais profunda e dinâmica e de passo chegar a perceber melhor os processos que  Steve Reich criou na sua música?. Pode a música estar construída a partir do processo e não na forma?. Como os meios electrónicos ajudaram a  criação de formas musicas como a “fase”?. Descortinar estes “modus operandi” que Reich utilizou na sua música e como isso assentou as bases para  uma nova maneira de estar da música, sem ter de fugir nem ter de “explodir” ou criar uma ruptura com a tradição. Abrasar a tradição a partir de  outra ótica, um caleidoscópio de escuta dirigida, em isto radica a genialidade do compositor norte-americano. 

Pensado para todos os públicos, sobretudo estudantes, crianças e idosos. Este é o objetivo deste programa mínimo, o minimal

Steve Reich Highlights

Drumming & Steve Reich, Paso e repasso pelas peças referencia do autor em diferentes períodos do seu percurso, sempre combinando a percussão, o instrumento do próprio Reich,  e os pianos. Estes programas tem como núcleo central a peça Sextet (1984) encomenda do centro Georges Pompidou de París e da Laura Dean Dancers,  numa aproximação mas também afrmação contrastante as linhas de criação europeias dos anos 70/80, explorando a ambiguidade perceptiva como  elemento fundamental a partir duma métrica que forma grupos rítmicos de 3 (com 4 batimentos) em contraposição a grupos rítmicos de 4 (com 3  batimentos) somando sempre 12 e criando assim uma mudança de percepção dependendo de como utiliza os grupos rítmicos sem mudar basicamente  nada na essência da composição. Dance Patterns (2002) está também pensada coreografcamente e foi uma encomenda do Ictus Ensemble para um video  de Thierry de Mey e Anne Teresa de Keersmaeker. O diretor artistico do Drumming estreou esta peça em Bruxellas no Palais des Beaux Arts seguido duma  digressão pela Europa. 

Drumming plays Drumming

Drumming & Steve Reich, “Drumming” (1971) obra incontornável da percussão e da música do século XX foi composta após um período em que Reich esteve a estudar em Ghana (África). Constituiu no momento da sua estreia a peça mais longa escrita pelo compositor: uma hora de duração. A peça é composta der quatro secções, correspondentes a quatro grupos diferentes de instrumentos: 1-Peles (bongos); 2- Madeiras (marimbas); 3- Metais (glockenspiels) ; 4) tutti, todos os instrumentos anteriores que incluem voz e fauta píccolo.