Drumming & César Camarero

Dando continuidade à série de programas monográficos e discos que o Grupo de Percussão de Percussão do Porto (Portugal) tem vindo a apresentar e lançar nos últimos anos, centramo-nos agora num dos compositores mais prolíficos e únicos da actual cena artística; César Camarero
A relação do Drumming-GP/Miquel Bernat com César remonta a 1996 e mantém-se desde então, dando origem ao aparecimento de diferentes obras neste período, construindo assim um legado fascinante, singular e contrastante de mais de uma hora de música dedicada à percussão Esta variedade é produto não só da distância temporal entre as diferentes obras mas também da diversidade dos grupos instrumentais utilizados, o que permite, tanto em situação de disco como em concerto, dar uma visão completa (audição compreendida) da criatividade deste autor com uma extensa e sempre surpreendente paleta de timbres.

Programa

Estratos, César Camarero, 1996, para saxofón alto y cuarteto de percusión , 11 min. Al Dúo Contemporain y Drumming.GP

Campos Magnéticos, César Camarero, 2000, Concierto de percusión y ensemble, 11 min. A Miquel Bernat

33 Maneras de Mirar un Vaso de Agua , César Camarero, 2004, trio de percusión, 9 min. A Miquel Bernat/Drumming

Precipitaciones, César Camarero 2008, Solo Marimba, 6 min. A Miquel Bernat

Asymmetric Forms of Live in the Deep Ocean, César Camarero, César Camarero, 2016, sexteto de percusión, 13 min. A Miquel Bernat y Drumming-GP

Enjambre Infinito, César Camarero, 2020, para percusión, 6 min. A Miquel Bernat

Intérpretes: 5 músicos.

Duração: XX minutos

Créditos

Autor: César Camarero

Direção artística: Miquel Bernat

Drumming: Miguel Bernat, João Dias, André Dias, Pedro Góis, Jorge Pereira

Som: Suse Ribero

Luz: Emmanuel Pereira

Discografia e Autor

Multimédia

Foto

Vídeo

htps://youtu.be/uyCnl4voA3U?si=2CW58mOxSufbFzZ_

Imprensa

Instrumentos

Dossier e Riders Técnicos

Dossier

Som

Luz